HOME / Live com pedagoga Elisa Silva e Patricia Coda

Live com pedagoga Elisa Silva e Patricia Coda

terça-feira, 31 de agosto de 2021

TAGS:

As convidadas Patrícia Coda, Coordenadora Geral da Casa de Leylá e Elisa Silva, pedagoga da Casa Leylá, junto com Renato Senna, Gerente Geral, como mediador conversam sobre A construção do saber coletivo.

Senna diz que toda oportunidade de encontro entre pessoas é uma possibilidade de aprendizado e afirma que a Rede Cruzada tem feito esses encontros através de textos, artigos e de conhecimentos. “A gente fica tão envolvido com as atividades operacionais que esquecemos de alimentar o nosso cérebro e não é sobre a prática que vai dar isso. A riqueza do que temos visto na Rede Cruzada é que a prática é muito importante, mas quando a gente damos significados através da linguagem ao que fazemos, essa prática se torna uma teoria muito poderosa que pode ser escalada e compartilhada com outros”.

Então, como através da leitura e da compreensão, dos registros dessas compreensões pela produção de textos, estamos transformando isso em conteúdo e saberes, afirma Renato.

Renato pergunta a Patrícia o que ela tem lido e estudado sobre Gestão Continuada.

Estamos em um momento de volta as atividades presenciais, portanto é natural que a gente se ocupe com uma série de atividades que tomam muito o nosso tempo. Em um determinado momento percebemos que apesar de reconhecer a importância de fazer esse alinhamento no trabalho na rede, estávamos dedicando pouco tempo ao estudo e ao auto desenvolvimento.

A prática é muito importante, mas a teoria precede a prática e a prática retroalimenta a teoria. E na gestão não é diferente, porque de certa forma, todos nós temos uma bagagem que trazemos para a Rede Cruzada para contribuir com o trabalho, mas nós não sabemos tudo. Somos mais aprendiz do que ensinantes.

A proposta é que mesmo em nosso colegiado, a gente pudesse trazer textos que fossem importantes pro desenvolvimento do nosso trabalho e produzir textos/ler para os colegas em nossos encontros.

A Coordenadora conta que quando lemos o texto o olhar é diferente do momento em que foi construído, porque antes da leitura ouvimos outras coisas e aquilo enriquece a nossa própria construção.

“Nesse momento estamos trabalhando com o texto do Edgar Morin que fala sobre a emoção/razão no pensamento complexo e a leitura fez com que os colegas fizessem uma conexão com a sua própria prática”, ressalta Patrícia.

A pedagoga conta a sua prática pelo lado pedagógico. Ela afirma que estar ingressada nesse livre brincar é muito satisfatório, principalmente no período de pandemia. “Quando conseguimos descobrir o nosso potencial, nós conseguimos transmitir isso para as nossas crianças e adolescentes”.

A pedagoga ressalta um primeiro motivo de processo de formação coletivo:

Quando eu descubro a minha potencialidade, eu consigo ensinar para uma criança o que ela tem de melhor.

Elisa diz que o segundo motivo é conseguir romper com a zona de conforto, ela ouviu certa vez que a zona de conforto não é confortável. E ressalta que isso lhe causa estranheza. “Na zona de conforto você vê as pessoas evoluindo, não é confortável ter que escrever um texto autoral, por mais que eu seja pedagoga”.

Dê play e acompanhe a íntegra a conversa dos educadores.

Quer saber mais novidades sobre a Rede Cruzada? Siga a gente nas redes sociais: YouTube, Instagram, Facebook, LinkedIn 

Venha conosco criar um futuro melhor para todos. Seja um Investidor Social e apoie a educação como agente transformador!

Compartilhar:

DEIXE SEU COMENTÁRIO

comments