HOME / O brincar e a primeira infância

O brincar e a primeira infância

segunda-feira, 20 de setembro de 2021

TAGS:

Brincar é sinônimo de ser criança. É também sinônimo de descobrir, inventar, aprender e imaginar. Acreditamos, acima de tudo, que o brincar é um direito de todas as crianças. Pular, correr, imaginar, criar e estar em constante movimento, tanto mental quanto corporal, contribui para o desenvolvimento social, emocional e cognitivo de cada criança. As brincadeiras educativas constituem uma importante ferramenta na aprendizagem para as crianças. Por meio delas, os pequenos são estimulados de maneira divertida e espontânea, fixando conhecimentos tanto no âmbito individual como no coletivo. Além disso, tais brincadeiras e jogos podem ser muito úteis para o desenvolvimento da independência das crianças, assim como para o raciocínio estratégico, coordenação motora, equilíbrio e noções de lateralidade. É ainda uma bela oportunidade de criar laços e fortalecer vínculos entre os participantes, contribuindo para a formação de uma sociedade empática e solidária. 

O brincar na 1ª infância 

Justifica-se pela importância lúdica do processo ensino-aprendizagem na Educação Infantil através de jogos e brincadeiras. Oportunidade de trabalharmos a socialização, interação, recreação. Estimula o raciocínio crítico e lógico, uma vez que essa faixa-etária é propícia ao despertar do conhecimento e da aprendizagem. Proporciona a criação e a experimentação de práticas pedagógicas inclusivas na Educação infantil e incentiva a realização de brincadeiras que envolvam todas as crianças. Assim, elas engajam no aprendizado e se sentem confiantes para enfrentar novos desafios e dominarem novas habilidades. Com isso, o brincar cotidianamente de diferentes formas, em diferentes parceiros (crianças e adultos), amplia e diversifica seu acesso a produções culturais, seus conhecimentos, sua imaginação, sua criatividade, suas experiências emocionais, corporais, sensoriais, expressivas, cognitivas, sociais e relacionais.

A Rede Cruzada elege o brincar como tema central de seu projeto pedagógico 2021 e, para além disso, inaugura uma nova forma de ver sua proposta pedagógica com o tema DA INFÂNCIA A TERCEIRA IDADE: A POTÊNCIA DO APRENDER BRINCANDO. Construído a muitas mãos, o projeto está dividido em subtemas, atendendo tanto à modalidade de ensino presencial quanto à modalidade de ensino remoto.

A família: resgate das tradições e o brincar nas outras infâncias

As brincadeiras antigas funcionam como pontes para o passado, pois quando as crianças brincam, elas se defrontam o tempo todo com vestígios que as gerações mais velhas deixaram. Por isso, resgatar a história de jogos tradicionais infantis como a expressão da história e da cultura, pode nos

mostrar estilos de vida, maneiras de pensar, sentir e falar e, sobretudo, maneiras de brincar e interagir. Configurando-se em presença viva de um passado no presente (FANTIN, 2000, p.22). Favorecendo o desenvolvimento das crianças em dimensões: corporal, afetiva, cognitiva e cultural.

O faz de conta: o brincar livre e a experiência na natureza

Espera-se que o aluno aprenda sobre si mesmo e o outro, que aprenda lições importantes para sua vida através das histórias e brincadeiras, que construa a sua identidade e autonomia, por meio das brincadeiras, das interações socioculturais e da vivência de diferentes situações. Que desenvolva a sua capacidade de empatia em perceber que não é único no mundo pois temos o outro a nossa volta, que possa enfrentar seus medos através das dramatizações do real e imaginário, que sejam capazes de resolver problemas através do faz de conta. É essencial trabalhar por meio do lúdico, respeitando e incentivando as brincadeiras livres e em contato com a natureza, aguçando sua criatividade e imaginação.  

A criatividade: as artes a serviço do brincar 

A arte e o brincar estão interligados em suas ações, pois a brincadeira se faz presente na arte, e a arte está presente no brincar. Nossa cultura é tão rica e ampla que devemos explorá-la mais, incentivando e despertando nas crianças o prazer de brincar, de construir seus próprios brinquedos, de conviver mais uns com os outros. Espera-se que o aluno através da brincadeira com jogos, venha desenvolver seu lado motor, social e cognitivo. Quando uma criança é estimulada a realizar o que lhe é pedido, ela está adquirindo responsabilidade e autonomia motora. 

Os jogos: propostas dirigidas do brincar 

Trabalhar em equipe demonstra o valor da cooperação. Construir o raciocínio lógico através de brincadeiras e jogos ajuda a criança no processo de resolução de conflitos, a expressar-se, a estimular pensamentos abstratos, a desenvolver e ampliar a criatividade, imaginação, cognitivo, orientação espacial, agilidade, lateralidade, ritmo, coordenação motora, atenção e equilíbrio. Promover regras e desafios estimula a confiança e faz com que a criança acredite em si mesma. Incentivar a vivência de valores como: cooperação, respeito, justiça, solidariedade e autoestima ajuda a promover a socialização e interação afetiva entre a criança, colaborador e família e a ampliar as relações interpessoais.

Torne-se um investidor social da Rede Cruzada e apoie o nosso trabalho.

Compartilhar:

DEIXE SEU COMENTÁRIO

comments